O mundo atual está repleto de estresse, correria e aglomeração. Todos os dias você repete a sua rotina e se pergunta: será que eu conseguiria viver pelo menos um dia longe disso tudo? Sabemos que você conseguiria! Então, quer se isolar da humanidade? Ou quem sabe apenas fazer um roteiro de viagens alternativo de verdade? Pensando nisso, nos da Boat listamos para você os tês destinos mais remotos que você pode visitar de iate

1. Kimberley, Western Australia

Robustas e vermelhas, com imponentes quedas d’água, arte rupestre aborígine, enormes variações de marés, água salgada e crocodilos de água doce, milhares de ilhas e menos pessoas por quilômetro quadrado do que em qualquer outro lugar da Terra, a antiga região de Kimberley no lado norte da Austrália Ocidental oferece uma experiência de cruzeiro em iate no deserto como nenhum outro lugar.

Broome, na costa oeste da península de Dampier, é uma porta de entrada para a região; a partir daqui, ou voe para o norte no coração de Kimberley e volte, ou faça um cruzeiro para o norte e voe de volta. Para uma experiência de uma semana em Kimberley do Sul, comece voando quase 300 milhas a nordeste de Broome até o planalto de Mitchell, coberto por palmeiras. A partir daqui, um helicóptero irá levá-lo sobre as Mitchell Falls (um lugar de importância cultural e espiritual para o povo de Wunambal) e para o deserto do rio Hunter e seu iate.

Navegando pelo rio Hunter até Careening Bay, você vai entrar na foz do rio Prince Regent. Sob o olhar gritante do Monte Trafalgar e do Monte Waterloo, aventure-se pelos penhascos de arenito e pelos desfiladeiros em direção às belas formações rochosas com terraço de Kings Cascades, onde você pode observar grandes crocodilos de água salgada.

No dia seguinte, experimente algumas das melhores ostras do mundo, diretamente das rochas em Camden Harbour, onde o primeiro assentamento europeu de Kimberley foi conatruído na década de 1860. Em seguida, atravesse a baía de Kuri, o primeiro assentamento de pérolas da região, até Langii, onde os “guerreiros petrificados” de arenito representam guerreiros mortos em uma batalha Aborígine Dreamtime.

Demore-se aqui por algum tempo pescando barramundi e filé de salmão em Doubtful Bay dentro de seu iate; explorando Montgomery Reef, rico em vida marinha, com 154 milhas quadradas, é um recife costeiro que parece emergir do oceano numa maré vazante;  fazendo Trekking até às galerias aborígines de cavernas rupestres de Raft Point; e fotografando as Cachoeiras Horizontais.

Quando ir:

Viaje entre abril e setembro, a estação seca de Kimberley.

Experimente:

Os pores do sol ardentes de Cable Beach, em Broome, exigem uma cerveja picante. Na premiada Cervejaria Broome da Matso, instalada em um antigo banco de cerca de 1910, você pode saborear chili beer e outras cervejas intrigantes, como lichia, gengibre e manga.

2. Raja Ampat, Indonesia

 

 

Um paraíso para mergulhadores, o Raja Ampat, um arquipélago de 1600 milhas quadradas e 1.600 ilhas na província de Papua Ocidental, é um ponto de biodiversidade, com mais de 1.500 espécies de peixes, 700 espécies de moluscos, mais de 75% do espécies de coral duro do mundo e metade dos corais moles conhecidos do mundo.

Embora uma semana seja suficiente para explorar a parte norte ou central do arquipélago, opte por pelo menos um itinerário de 14 dias para uma experiência completa. Embarque em Sorong, na costa noroeste de Papua Ocidental, e faça um cruzeiro a noroeste em direção às ilhas Wayag desabitadas, no lado oposto do equador. Passe alguns dias ancorados em suas calmas lagoas azuis, surfando ou andando de caiaque em torno de afloramentos de calcário cársticos cobertos de orquídeas, mergulhando com anemonefish,  e escalando até o ponto alto do Monte Pindito, que oferece vistas sublimes.

Em seguida, aventure-se para o sul, até a Ilha Penemu, nas Ilhas Fam, que abriga os duros jardins rasos de coral do local de mergulho do Melissa’s Garden. Mais ao sul estão as ilhas Misool e os mergulhos mais famosos do arquipélago Whale Rock, Dunia Kecil e outros, bem como um lago marinho, escondido em uma floresta tropical e repleto de águas-vivas inofensivas, cuja picada é tão leve que é indetectável.

Quando ir:

O mergulho do Raja Ampat é excelente o ano todo; no entanto, de outubro a abril é a melhor época para os iates, pois os mares são geralmente mais calmos.

Compre:

Arborek Village, no centro de Raja Ampat, é conhecida por seus artesanatos de folha pandan que quase todas as mulheres da aldeia produzem e vendem.

3. Vanuatu

 

 

Localizadas no coração da Melanésia, as mais de 80 ilhas de Vanuatu se combinam para 00oferecer a cadeia de ilhas mais diversificada e cênica do Pacífico. Cada ilha é diferente, cultural, antropológica, cênica e biologicamente. O povo de Vanuatu, com seus sorrisos gentis e calorosas boas-vindas, será um dos destaques de sua jornada. É o destino perfeito para passeios em ilha em estilo de expedição, com mergulho de classe mundial, caminhadas em vulcões e uma variedade aparentemente infinita de praias intocadas.

Planeje passar pelo menos duas semanas aqui. Vá com seu iate na capital Port Vila, situada em torno de um porto natural na ilha de Efate. Prove uma cerveja local Tusker no Vanuatu Cruising Yacht Club na Baía de Pontoon; saboreie frutos do mar frescos, carne orgânica de classe mundial e frutas e legumes frescos em alguns dos 40 restaurantes; e submergir para investigar o navio à vela de 295 pés Star of Russia shipwreck.

Quando você se cansar da vida metropolitana, navegue para o sudeste até Tanna, que abriga o Monte Yasur, um vulcão ativo com erupções contínuas.

Para mais ação, siga para o norte até Ambrym, conhecida como a “ilha negra” devido a suas cinzas vulcânicas e magia negra. Aqui, enfrente a extenuante caminhada até os vulcões ativos da ilha, o Monte Benbow e o Monte Marum, e espreite um lago de lava fervente.

Outras ilhas imperdíveis incluem Espiritu Santo, com seus destroços de naufrágios, buracos azuis e a famosa Champagne Beach; Ureparapara, onde você cruza a vasta caldeira de um vulcão extinto; e as ilhas Reef (Rowa), recifes de coral cercados por um recife em forma de ferradura, que, diz McCallum, “é o paraíso encontrado”.

Quando ir:

Os melhores meses de cruzeiro são geralmente considerados de maio a outubro. Fora da temporada de ciclones.

Fonte: Boat Shopping ( encurtador.com.br/bksV8 )